Entidade estima que menos de 10% dos pacientes são diagnosticados logo na fase inicial da doença

No próximo sábado, 3 de agosto, acontece o seminário gratuito realizado pela  IMF (Fundação Internacional do Mieloma da América Latina), voltado para pacientes e familiares, em São Paulo. Para reforçar a importância do diagnóstico do mieloma múltiplo (MM), segundo câncer mais frequente, atrás apenas do Linfoma não-Hodgkin, que ocorre na medula óssea, a IMF alerta sobre a importância do exame de Eletroforese de Proteínas Séricas, teste sem complicações e com baixo custo, feito por meio da urina ou sangue que podem indicar a presença do câncer.

“O exame de Eletroforese de Proteínas Séricas, infelizmente, ainda não faz parte da rotina de exames do paciente, e em alguns casos a descoberta da doença vem tardiamente, o que prejudica o tratamento”, chama atenção Vânia Hungria, médica hematologista da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e conselheira da Fundação do Mieloma. A IMF estima que menos de 10% dos pacientes sejam diagnosticados logo na fase inicial da  doença. Sintomas como problemas renais, anemia, dores ósseas, lombares, fraturas, infecções, podem ser confundidos com outras doenças.

“Se o teste fizer parte dos exames de rotina e check ups, teremos um aumento significativo no número de diagnósticos do mieloma em fase inicial, o que levará a melhores resultados e mais opções de tratamento”, ressalta Christine Battistini, presidente da IMF. A doença não tem cura, e ainda é pouco conhecida entre os brasileiros.

O seminário tem o propósito de apresentar os avanços no tratamento da doença em todo o mundo, e pesquisas, além de abrir espaço para esclarecimentos de dúvidas e fomentar as discussões entre profissionais da saúde, pacientes, familiares e cuidadores sobre o tema. Hoje o tratamento é feito em mais de 80 países por meio com lenalidomida, pomalidomida e outras drogas que conseguem estabilizar a doença, porém no Brasil estes medicamentos ainda não foram liberados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Estima-se que 30 mil pacientes estão em fase de tratamento, deste total 80% tem mais de 60 anos de idade.

Serviço:
Seminário para Pacientes & Familiares IMF – São Paulo
Data: Sábado, 03 de agosto de 2013
Horário: 08h às 14h
Local: Hotel Renaissance (Teatro)
Endereço: Alameda Santos, 2233 – próximo à estação Consolação do Metrô da linha Verde
Evento Gratuito (Café de boas vindas, lanche de confraternização e material educacional. Exceto estacionamento)
Inscrições no site: http://migre.me/f9Zl0

Sobre a IMF
Enquanto não existe cura conhecida para o mieloma, médicos têm muitas formas de ajudar os pacientes com mieloma a viver mais e melhor. A International Myeloma Foundation -IMF foi fundada em 1990 por Brian e Susie Novis logo após o diagnóstico do mieloma de Brian aos 33 anos de idade. Hoje a IMF possui mais de 185.000 membros em todo o mundo.
A IMF LATIN AMERICA foi fundada em 2004 por Christine Jerez Telles Battistini, filha de uma paciente que, por oito anos, travou dura luta contra a doença, e Dra. Vânia Tietsche de Moraes Hungria, médica hematologista, Professora Adjunta da Disciplina de Hematologia e Oncologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e membro do Conselho Científico da International Myeloma Foundation desde 1998. É a IMF Latin America quem traz aos pacientes e à comunidade médica da América Latina os mesmos serviços hoje disponíveis nos Estados Unidos, Europa e Japão, como Seminários para Pacientes & Familiares e Conferências clínicas e científicas para médicos.