Considerado o segundo tipo de câncer hematológico mais frequente, atrás somente do linfoma não-Hodgkin, o mieloma múltiplo ainda é pouco conhecido e, por isso, acaba sendo diagnosticado em estágio avançado. Para conscientizar a população sobre esta doença, seus sintomas e tratamentos, a IMF (International Myeloma Foundation Latin America), o Instituto Oncoguia e a Abrale (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia), com apoio da ABHH (Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular), promovem, de 18 a 23 de setembro, a Semana de Conscientização do Mieloma Múltiplo com o tema: “Se você não suspeitar, não vai diagnosticar”.

 

O mieloma múltiplo, doença que representa 10% de todos os cânceres hematológicos, é um câncer da medula óssea complexo, causado pelo crescimento descontrolado de células plasmocitárias, atacando e destruindo o osso. Embora os idosos sejam os mais atingidos, pessoas jovens também sofrem da doença. Ao todo, estudos da IMF estimam 17 mil novos casos por ano no Brasil.

 

Christine Battistini, presidente da IMF, explica que a Semana envolve distribuição de informativos em diversos pontos estratégicos de nove cidades do Brasil pelos próprios pacientes e familiares e um Fórum sobre as necessidades e preocupações do paciente com mieloma múltiplo. “Esta Semana tem o intuito de alertar à população sobre uma doença que tem sintomas que podem ser facilmente mascarados, como dores nas costas e anemia. Muitas pessoas convivem com a doença sem saber. Quando é diagnosticada, costuma estar em estado avançado”, alerta Christine.

 

Em São Paulo, a campanha acontecerá no dia 21 de setembro. As equipes da IMF informarão e distribuirão informativos sobre a doença nas estações de metrô Itaquera, Ponte Pequena e Clínicas, na Avenida Paulista, na bifurcação metrô/trem João Dias e na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

 

SINTOMAS

A maior parte dos pacientes de mieloma múltiplo apresentam dor óssea e anemia. A médica Vânia Hungria, presidente do Conselho Científico da IMF e professora de Hematologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, revela que de 70 a 90% dos pacientes apresentam lombalgia, e 60%, anemia. Sintomas como insuficiência renal e infecções também são recorrentes.

 

DIAGNÓSTICO

Para o diagnóstico do mieloma múltiplo é necessário realizar a eletroforese de proteínas séricas. “É um exame de sangue simples que deveria estar incluso nos exames de rotina de todo mundo”, afirma Vânia. Exames complementares também devem ser feitos: radiografia para detectar lesões ósseas e biópsia.

 

TRATAMENTO e AVANÇOS

Nos últimos dez anos houve um grande avanço no tratamento com novas drogas e novos protocolos terapêuticos. “O mieloma múltiplo é uma doença do sangue que ainda não tem cura, mas hoje pode ser controlada por vários anos”, ressalta o presidente da ABHH, o hematologista Carmino Antonio de Souza. Segundo o especialista o uso combinado de drogas é a melhor alternativa disponível no mundo para proporcionar qualidade de vida e alongamento da sobrevida dos pacientes.

 

Hoje, 70% dos pacientes brasileiros são tratados com quimioterapia convencional, em que são usadas diversas combinações de medicamentos. O transplante de medula é realizado em 25% dos pacientes, e 5% não faz tratamento.

 

 

SERVIÇOS

 

Conscientização em São Paulo

21 de setembro de 2012

Das 10h às 16h

  • Estações de metrô: Itaquera, Ponte Pequena e Clínicas
  • Avenida Paulista
  • Bifurcação metrô/trem: João Dias
  • Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

 

FÓRUM de Conscientização sobre o Mieloma Múltiplo

21 de setembro

Das 8h30 às 12h30

Av. Paulista, 1776 – 2º andar – SALA SÃO PAULO (próximo às estações de metrô do Trianon MASP  e Consolação)

 

 

Demais cidades que participam da Semana do Mieloma Múltiplo:

 

18/09: Salvador – Hospital das Clínicas, Farol da Barra

19/09: Rio de Janeiro – Central do Brasil e Shopping Polo 1

20/09: Bragança Paulista – Faculdade de Bragança

21/09: ABC – (São Paulo) – nos principais terminais de ônibus

22/09: Porto Alegre (Parque Farroupilha)

23/09: Brasília (Palácio da Alvorada), Belo Horizonte (Feira Hippie de BH) e Florianópolis (Beira Mar Norte)

 

 

Sobre a IMF

A International Myeloma Foundation -IMF foi fundada em 1990 por Brian e Susie Novis logo após o diagnóstico do mieloma de Brian aos 33 anos de idade. Hoje a IMF possui mais de 185.000 membros em todo o mundo. A IMF LATIN AMERICA foi fundada em 2004 por Christine Jerez Telles Battistini, filha de uma paciente que, por oito anos, travou dura luta contra a doença, e Dra. Vânia Tietsche de Moraes Hungria, médica hematologista, Professora Adjunta da Disciplina de Hematologia e Oncologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e membro do Conselho Científico da International Myeloma Foundation desde 1998. É a IMF Latin América quem traz aos pacientes e à comunidade médica da America Latina os mesmos serviços hoje disponíveis nos Estados Unidos, Europa e Japão, como Seminários para Pacientes & Familiares e Conferências clínicas e científicas para médicos. www.myeloma.org.br ou (11) 3721.5317

 

Sobre o Oncoguia

O Instituto Oncoguia é uma entidade sem fins lucrativos com sede na capital paulista, fundada em 2009 com a missão de promover o acesso do cidadão à informação, prevenção, diagnóstico, tratamento e qualidade de vida, para acabar com o preconceito, sofrimento e as mortes causadas pelo câncer. Composta por equipe multidisciplinar de profissionais da área da saúde, direito e comunicação, o Instituto Oncoguia desenvolve projetos em 4 núcleos: Educação em Saúde; Apoio ao Paciente, Advocacy e Informação de Qualidade. Dentre os principais projetos estão o Portal Oncoguia (o maior e mais completo canal de informações brasileiro em oncologia), o Programa Navegador de Pacientes (no Hospital Pérola Byington e na comunidade M´Boi Mirim) e o Programa de Apoio ao Paciente, em que, por meio de ligações gratuitas, o paciente de qualquer lugar do Brasil pode tirar dúvidas a respeito de seus direitos, tratamentos e qualidade de vida. www.oncoguia.org.br ou 0800 773 1666

 

Sobre a Abrale

A Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia é uma Organização Não-Governamental (ONG), sem fins lucrativos. Sua missão é alcançar a excelência e humanização do tratamento e qualidade de vida de pessoas com câncer do sangue no Brasil, por meio de pesquisa, produção e divulgação de conhecimento, mobilização política e apoio ao paciente e seus familiares.. A Associação oferece atendimentos psicológico e jurídico, além de programas educacionais gratuitamente. Informações podem ser obtidas no site www.abrale.org.br ou pelo telefone 0800 773 9973.