A Carreta da Saúde, do Projeto CIES (Centro de Integração de Educação e Saúde), completou três anos de ações em junho. O caminhão que leva atendimento de alta qualidade para a população carente do país já nasceu como o maior hospital sobre rodas do mundo.

Com 15 metros de comprimento e dotada de um sistema automatizado que permite a abertura das laterais, atingindo uma área de aproximadamente 100 m². O centro médico móvel possui quatro salas de atendimento climatizadas e com equipamentos de diagnósticos de alta tecnologia, áreas de esterilização, duas salas de espera com recepção, banheiros e elevador para pessoas com dificuldade de locomoção.

A capacidade é de 9.000 atendimentos por mês, em dez diferentes especialidades médicas, de acordo com as necessidades da comunidade visitada pelo CIES. “Com a Carreta, em diversos lugares do País, já eliminamos a fila para exames do Sistema Único de Saúde (SUS), principalmente para exames médicos como endoscopia digestiva, colonoscopia, cirurgia de catarata, exames cardiológicos e diversos tipos de ultrassonografia”, explica o idealizador do Projeto CIES e vencedor do Prêmio Empreendedor Social, Roberto Kikawa. Todos os exames são realizados com modernos equipamentos, que podem ser comparados aos dos principais centros médicos de grandes capitais.

O método utilizado pelo CIES inova também pela gestão compartilhada, que envolve e mobiliza governo, empresas, sociedade civil e comunidades. Os atendimentos são autossustentáveis e baseados na tabela do SUS.

Desde 2008, a Carreta da Saúde já percorreu mais de 15 cidades brasileiras, passando pelo Paraná, Santa Catarina, São Paulo (capital e interior) e Rio de Janeiro. Chegando a chamar atenção de líderes em países como Angola, Colômbia, Itália, Níger, Japão, Panamá e Venezuela.

O médico, Roberto Kikawa, explica que o objetivo é levar atendimento médico de excelência para populações de alta vulnerabilidade social. De maneira sustentável e com foco na ajuda ao próximo, o Projeto CIES é replicável e trabalha com profissionais remunerados, garantindo à população o envolvimento de médicos criteriosamente selecionados. “Além de qualidade no trabalho, é preciso ter o DNA do amor para participar, ou seja, dar atenção ao paciente”, completa Kikawa.

Roberto Kikawa

O paulistano Roberto Kikawa aprendeu sua primeira especialidade médica (primeiros-socorros) ainda pequeno, como integrante de um grupo escoteiro. Anos depois, acompanhou a evolução de um câncer de seu pai. A partir daí, comprometeu-se a ser um médico que prima pela qualidade do atendimento.

Formou-se em medicina em Londrina (PR); fez especialização em gastroenterologia e mestrado nessa área na Universidade de São Paulo (USP). Desde a residência, atende em Heliópolis, região de alta vulnerabilidade na zona sul de São Paulo. Já atuou no renomado hospital Sírio-Libanês.
Atualmente, é diretor do hospital São Camilo e professor-titular do centro universitário de mesmo nome, além de estar à frente do serviço de endoscopia de outros quatro hospitais.

Certificações

A Carreta da Saúde tem conquistado certificações importantes no país. As principais são:

• Empreendedor Social 2010

Conquistado por Roberto Kikawa, o prêmio foi realizado pela Fundação Schwab, em parceria com a Folha de S.Paulo. Também foi diplomado, durante o Fórum Econômico para a América Latina (RJ) de 2011, pessoas físicas que executem iniciativas pioneiras, como a criação de um produto ou serviço, ou a aplicação diferenciada de tecnologias já conhecidas.

O médico foi certificado por Klaus Schwab como Empreendedor Social de Destaque de 2010 pelo projeto Cies (Centro de Integração de Educação e Saúde).

• Declaração de utilidade pública

O Projeto CIES recebeu este ano (2011) o título de utilidade pública. Desde então, a Carreta da Saúde poderá se valer dos benefícios da declaração e ser convocado pelo poder público para prestar atendimento em diversas cidades com muito menos burocracia.