O acesso à educação é celebrado neste dia e conta com o apoio de ONGs que compartilham do mesmo compromisso

Em 28 de abril de 2000, no Fórum Mundial da Educação, realizado em Dakar, no Senegal, representantes de 180 países  assinaram um documento se comprometendo a universalizar o acesso à educação até 2015. A partir daí, o Dia Mundial da Educação propõe uma reflexão sobre o futuro e desafios acerca do ensino no país. Para atingir este objetivo, os países participantes contam com parceiros que compartilham do mesmo princípio. No Brasil, um desses parceiros é a Ação Comunitária.

A ONG atua na inclusão social de crianças, adolescentes e jovens de 0 a 29 e reforça o seu compromisso com a sociedade por meio de projetos já em desenvolvimento em diversas comunidades de São Paulo. Os projetos estão de acordo os Quatro Pilares da Educação do relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI: Aprender a Ser, Aprender a Viver Juntos, Aprender a Conhecer e Aprender a Fazer.

“Um dos programas da Ação Comunitária com foco em educação para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos é o Crê-Ser, que integra conteúdos de matemática, língua portuguesa, arte e cultura”, explica Mauricio Guimarães, Gerente de Mobilização de Recursos da Ação Comunitária. Há também programas voltados para crianças de 0 a 5 anos, para os jovens de 15 a 21 anos, que os ajudam a ingressarem no mercado de trabalho, e até cursos profissionalizantes gratuitos para jovens com mais de 18 anos.

A maior parte das atividades realizadas pela ONG ocorre no contraturno escolar de modo a complementar a chamada educação formal. Ao lado de educadores sociais e culturais, crianças, adolescentes e jovens participam de um ambiente interativo e de problematização, onde o diálogo e a reflexão sobre questões referentes ao cotidiano e ao contexto comunitário são estimulados.

Toda a metodologia inspirou o livro “o jovem e seu projeto de vida”, publicado em 2013 e disponível gratuitamente no site da ONG. Na obra, são apresentados conceitos teóricos como, por exemplo, a imaginação sociológica, pelo qual os indivíduos adquirem uma nova visão de mundo pela capacidade de olhar além da pequena e restrita realidade que o cerca, até exercícios práticos que contribuem para oferecer aos jovens maior grau de consciência para suas futuras escolhas.

SOBRE A AÇÃO COMUNITÁRIA:

Fundada em 1967, a Ação Comunitária do Brasil – SP é uma organização auditada, que luta contra a exclusão social por meio do trabalho de desenvolvimento comunitário com famílias, cursos profissionalizantes para jovens até 29 anos e educação para crianças e adolescentes de 0 a 18 anos, em bairros de alta vulnerabilidade da cidade de São Paulo. Mais informações no site: http://www.acomunitaria.org.br/