Presidente da International Myeloma Foundation Latin America está envolvida em trâmites para que os medicamentos estejam disponíveis o mais rápido possível no Brasil

O FDA (U.S. Food and Drug Administration), órgão de regulamentação de drogas americano, aprovou o registro de cinco drogas para os pacientes portadores de mieloma múltiplo, tipo de câncer de medula óssea que se caracteriza pela proliferação excessiva de plasmócitos malignos. Em fevereiro, foi aprovado o registro da droga panobinostat (Farydak®), inibidor do avanço da doença e que contribui para a restauração das funções celulares afetadas pelo mieloma.     No mesmo mês, O FDA também expandiu a aprovação da lenalidomida (Revlimid®) para uso de primeira linha.

Em meados de novembro foi aprovado o registro da droga daratumumab (Darzalex®), medicação com anticorpo monoclonal e primeira droga desta classe aprovada para os pacientes com mieloma múltiplo recidivado. “Ela foi aprovada com urgência, pois estudos mostraram que mesmo usando essa medicação como monoterapia, ou seja, com uma droga só, em pacientes que já tinham recebido muitas linhas de tratamento, esses pacientes obtiveram resposta”, pontuou Christine Battistini, presidente da organização de apoio aos pacientes portadores de mieloma múltiplo no Brasil –  International Myeloma Foundation Latin America (IMF LA) -.

A médica hematologista e professora adjunta da disciplina de Hematologia e Oncologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Profa. Dra. Vânia Hungria, destacou que muitos estudos clínicos estão sendo desenvolvidos pela associação de daratumumab que possui outras drogas já conhecidas no mercado para o tratamento de mieloma.  “É um grande passo termos uma nova classe de drogas incluída no arsenal terapêutico para o tratamento dos pacientes com mieloma múltiplo”, enfatizou a médica.

Além do daratumumab, o ixazomib (Ninlaro®), outra droga importante recebeu a aprovação de registro, pelo FDA na mesma semana. O ixazomib é o primeiro e único inibidor de proteassoma oral, com toxidade baixa indicado para uso em combinação com lenalidomida e dexametasona em pacientes com mieloma que receberam pelo menos um tratamento anterior. A última droga que recebeu a aprovação de registro recentemente foi o elotuzumab (Empliciti®).  A droga da Bristol-Myers Squibb teve o registro aprovado também no mês de novembro para pacientes com mieloma múltiplo que receberam de um a três tratamentos anteriores. O elotuzumab (Empliciti®) é uma terapia imunoestimulante, que estimula o sistema imunológico a atacar e matar as células do mieloma.

Para a International Myeloma Foundation Latin America, a aprovação dos medicamentos é um significativo avanço para a melhoria do tratamento de inúmeros portadores da doença. “Estamos vivendo momentos de grandes mudanças para os pacientes com mieloma múltiplo. São três grandes novas drogas aprovadas nas últimas semanas. Meu compromisso, como representante dos pacientes no Brasil, é lutar para que essas drogas possam estar disponíveis o mais rápido possível”, disse a presidente da IMF LA.

Congresso

Entre os dias 5 e 8 de dezembro foi realizado o Congresso Anual da Sociedade Americana de Hematologia (ASH), em Orlando. Foram abordados diversos assuntos importantes sobre o mieloma múltiplo, entre eles a aprovação de registro das três novas drogas: daratumumab (Darzalex®), ixazomib (Ninlaro®) e elotuzumab (Empliciti®).  A International Myeloma Foundation Latin America esteve presente e publicou, em seu site, os comentários e opiniões de médicos renomados de todo o Brasil falando sobre a importância dessas novas drogas para os pacientes com mieloma múltiplo.

Colocamos à disposição da imprensa os porta-vozes da IMF para falar sobre Mieloma Múltiplo e a realidade que enfrentam os pacientes da doença no atual cenário da saúde brasileira.

IMF Latin America

Hoje a IMF é a maior e mais antiga organização dedicada a melhorar a qualidade de vida dos pacientes com mieloma enquanto trabalha em direção à prevenção e cura. A IMF guia pesquisas colaborativas em vários países e está alcançando resultados extraordinários em laboratórios de pesquisa, em consultórios médicos, em clínicas e nas casas de seus membros. Dando continuidade a este trabalho foi fundada no Brasil a IMF Latin America, visando trazer aos pacientes e à comunidade médica da América do Sul os mesmos serviços hoje disponíveis nos Estados Unidos, Reino Unido e Japão. A IMF Latin America é uma Fundação sem fins lucrativos OSCIP dirigida por uma Diretoria, guiada por um Conselho Científico e fiscalizada por um Conselho Fiscal.